A Lenda de Zelda Livro II - O Retorno de Link (FanFic RAMJ)

Lugar apropriado para postar seus Fanfics, contos, poemas etc. para que todos do fórum possam ler com facilidade.

A Lenda de Zelda Livro II - O Retorno de Link (FanFic RAMJ)

Mensagempor Master Link (RAMJ) » 01/05/2014 (Quinta-feira), às 03h47min

Então que comecemos o Livro II dessa jornada de Link que alguns dois ou três acompanham, é uma pena, mas tudo bem. O Livro II narra os feitos de Link para chegar até o Cristal da Senhora dos Ventos, e descobrir seus verdadeiros poderes. Veremos o então Retorno de Link à Hyrule e as notícias que ele recebe, inclusive remetendo a Sombra do Lobo, o forçaram a sair em jornada novamente para auxiliar o país vizinho de Hyrule em uma guerra contra Garandorf. Fiquem com o primeiro capítulo:


Texto escondido (pode conter spoilers): 
A Lenda de Zelda – O Retorno de Link






Parte I – A Máscara Negra de Majorras



Cap. I – Mirha, a contadora de Histórias


Alguns dias se passaram desde que Link e Smaugy estiveram em Devias. Mais precisamente dois meses de viagem, e enfim chegaram ao reino de Thielzer.
Era fim de tarde e Link estava tranquilo e mesmo sabendo do perigo que teria que enfrentar para recuperar o cristal da Espada Mestre, assim se manteve. Os sonhos com a máscara negra sempre se repetiam, pelo menos duas a três vezes por semana, mas isso curiosamente não o preocupava, ele sabia que pensaria em algo.
Smaugy o levou até o fim da rua principal da vila Mohr, onde ele tinha uma pequena casa. Ela tinha um banheiro, uma sala com uma grande lareira, um quarto e uma mesa em um cômodo em espécie de copa. Tinha aparência bem agradável e estava limpa:
- Ah, que bom que haviam feito como eu pedi – disse Smaugy – Havia pago uma grande quantia em Ruppes à algumas senhoras para manterem a casa em boas condições, imaginei que voltaria a Mohr um dia desses... Pois bem, vamos entrar e descansar Link, estamos a mais de vinte dias no ermo, merecemos não?
- Sim, preciso descansar. E também preciso comer alguma coisa.
Depois de se lavarem e colocarem roupas limpas, Link e Smaugy deixaram suas coisas na casinha e saíram para comer em um pequeno Pub não muito longe. Smaugy só levou sua varinha e disse que não iriam precisar de nenhuma arma, pois a vila era calma e sem problemas.
No caminho de volta, Link viu uma velha sentada na varanda de um casebre velho e com pouca luz logo em frente da casinha de Smaugy:
- Boa noite aventureiro? O que procura em Thielzer? – disse a velha –
- Olá, estou aqui para tentar recuperar algo que pertenceu a um ancestral meu.
- Entendo, muitos também vem para tentar o mesmo e sempre em vão, talvez ninguém nunca consiga. Os aventureiros desses tempos sempre são muito orgulhosos o bastante para pedir conselhos ou ajuda para aqueles mais experientes nos anos...
- Não entendo, o que você quer dizer?
- Meu nome é Mirha, a contadora de histórias que um dia serviu a corte e o castelo do Rei Astohz. E minha mãe era adivinha, acho que herdei um pouco de seu dom, e sei que você e seu velho companheiro estão planejando atacar a Máscara Negra que mora no castelo em ruinas do falecido Rei.
Smaugy que escutou tudo se aproximou e disse:
- Você conhece sobre esta máscara? Sabe como derrota-la então?
- Não há como saber, o que eu posso ajudar você é como entrar no castelo...
Nesse instante, o toque obrigatório de recolher foi soado e todos sem exceção deveriam retornar à suas casas. A velha Mirha sem falar nada mais, deu um sorriso para Link e entrou fechando a porta:
- Vamos Link, temos que entrar, talvez em uma outra ocasião falaremos com essa mulher.
Depois de entrarem e se prepararem para deitar Link questionou:
- Você acha que o que ela diz é verdade? Será que ela sabe mesmo como entrar?
- Ela não me pareceu mentir – respondeu o velho – O que eu sei é que para entrar no castelo você precisará de algumas coisas, coisas que encontraremos nos Reinos vizinhos de Thielzer...
- Você sabe o que são? – perguntou Link esperançoso –
- Não. Li em um livro algo sobre isso mas o resto estava rasgado... Acredito que podemos conseguir mais informações com Mirha. Irei até a casa dela amanhã bem cedo e você virá comigo.
No outro dia, os dois levantaram bem cedo, e assim que o toque dos sinos indicando o amanhecer soaram eles saíram e quando chegaram até casa de Mirha e bateram, a porta estava aberta. Smaugy pediu para Link ficar do lado de fora:
- Não importa o quanto eu demore, em hipótese alguma entre. Eu sinto um espectro maligno lá dentro, e você não será capaz de se defender dele, mesmo com a Espada Elementar. Somente magia combate magia...
Depois disso o velho entrou.
Após algumas horas Smaugy retornou com Mirha nos braços:
- Ela foi assassinada a noite. O espectro que eu sentia estava revirando as milhares de estantes que haviam lá dentro. Eu lancei um feitiço para que ninguém vesse ou ouvisse o que ocorreu lá dentro. Eu lutei com ele mas ele desapareceu. Me parecia estar a mando de Vaany...
- Que horror... O que faremos?
- Ela tinha um livro guardado embaixo da roupa, e acho que é esse livro que precisamos ler para saber como entrar no castelo. O único problema é que ele foi escrito no dialeto de Elfheim, o reino dos elfos da floresta, que não fica muito longe daqui. E somente o povo de lá poderá traduzir para nós o que diz o livro.
- O que estamos esperando, vamos para Elfheim!
- Sim, devemos ir, mas tenho que te alertar que Elfheim está sobre uma terrível maldição e todos os elfos de lá estão em sono profundo. Teremos problemas se formos sem nenhuma preparação ou conselhos sobre como quebrar essa maldição.
Smaugy não disse mais nada. Pronunciou algumas palavras em uma língua estranha e o corpo de Mirha desapareceu. Então ele voltou para sua casa com Link, que ficou pensativo em como fariam para traduzir o livro, já que o único povo capaz de lê-lo estava amaldiçoado.
No dia seguinte, Link saiu para caminhar sem Smaugy que ficou em casa tentando entender alguma coisa que estava escrita no livro. Ele entrou em um bosque e começou a caminhar, de olho na estrada para não se perder.
Ele disse a Link que seria muito difícil restaurar a ordem em Elfheim, pois o Rei Elliond era um monstro mortal. Foi devido à uma grande discussão desnecessária e preconceituosa com um estrangeiro de nome Tuminos, que ele foi amaldiçoado pelo mesmo.
Tuminos era do reino vizinho de Maelzer, o reino dos anões. Ele queria terminar com a grande briga entre os dois reinos e presenteou o Rei com uma flauta e um tratado de paz com alguns termos e condições para ambos os reinos. A flauta, sem o consentimento do Rei Elliond, era mágica e se ele aceita-se o acordo e o presente do estrangeiro, seus reinos viveriam em harmonia e prosperidade. Caso o Rei Elliond negasse o acordo, a flauta o transformaria em um demônio que destruiria aos poucos o reino inteiro. O Rei Elliond não aceitou o acordo devido à algumas cláusulas não o beneficiarem, e então o reino foi amaldiçoado. Ele perdeu totalmente a consciência quando se transformou e atacou todos que tentaram fugir de Elfheim e os que tentaram entrar também morreram. Seu filho Elliund tentou derrota-lo e salvar o povo que estava sendo destruído, mas falhou e também foi morto. Muitos pedidos de ajuda foram enviados à Thielzer, segundo Smaugy, mas toda a ajuda do Rei Astohz foi em vão. Então uma enorme cratera foi formada em volta de Elfheim pelo mago ainda vivo de Thielzer para que o monstro não sai-se de lá, e um feitiço foi lançado nos elfos que ainda estavam vivos para que dormissem e ficassem todos em uma grande câmara escondida no subterrâneo de Elfheim, onde o filho de Elliond havia escondido a população de seu pai.
Smaugy disse que isso faz muitos e muitos anos e que nem ele sabia como derrotar o rei Elliond e trazer os elfos de volta de seu sono profundo.
Depois de algumas horas, Link decidiu voltar, pois já passava do meio dia e ele sentiu fome, Foi quando uma pequena luz começou a intriga-lo. Ela saltava de um lado para outro e Link sentiu que deveria segui-la.
Depois de caminhar alguns minutos atrás da Luz e se desviar totalmente do caminho, Link se perdeu. Foi quando a luz tomou forma e se mostrou ser Mirha:
- Mirha? Como pode ser? Você está morta... – disse Link espantado –
- Sim, mas consegui conservar meu espirito e aparecer mais uma única vez. Precisava ajuda-lo. Forças ocultas estão atrás de pessoas que muito sabem como eu, por isso aquele espectro me matou, alguém o enviou pois temia que meu conhecimento fosse passado adiante. Link, logo a frente você verá um lago, dele você pode tirar a Água Sagrada de Thielzer, a única capaz de curar Elliond e despertar seu povo élfico. Esse lago só aparece no último dia do mês de junho, que é hoje. Ninguém em Thielzer tem o conhecimento desse lago, apenas eu, pois antes, em vida, estava neste bosque, e no dia certo na hora certa e uma grande fada se mostrou para mim. Ela é uma das dezenove fadas que existem no mundo e tinha o poder da cura. Mas estava gravemente ferida, uma ferida negra de magia poderosa que nem ela podia curar e seu espírito estava se apagando. Então ela me deu a oportunidade de vê-la se transformar no lago da então Água Sagrada, pois disse que eu tinha um bom coração e poderia ajudar aqueles que me sucedessem nas horas mais árduas. Foi então que te encontrei aqui e usei minha única aparição para te trazer até o lago. Basta uma gota para que os elfos voltem ao normal.
- Que maravilha! Estou a caminho do lago, parece que estou o vendo daqui – disse Link olhando por entre as árvores e enxergando um clarão logo em frente –
- Link, você precisa salvar Elfheim para poder traduzir o livro. Nem mesmo eu seria capaz de traduzi-lo, somente os elfos de lá sabem essa língua em que foi escrito.
- Mas como eles sabem dos segredos do castelo de Thielzer?
- Pois Astohz foi quem pediu para que os artesãos de Elfheim criassem as chaves, trancas e segredos do castelo. O povo de Elfheim são muito inteligentes, criativos e excelentes artesões. Astohz pressentia que um mal estava tomando forma e que iria atacar seu castelo, e então pediu para Elliond que construísse proteções para a entrada e para as salas principais do seu palácio, pois ele já estava velho e não podia mais lutar. Foi então que os elfos o fizeram e escreveram o livro para passar às gerações adiante.
- E então mesmo assim a segurança e os segredos dos castelo não foram suficientes para a impedir a Máscara Negra?
- Ninguém sabe ao certo como ela entrou no castelo, mas ao que me parece, ela não invadiu. Conta-se que a máscara agiu internamente...
- Mirha, o que foi, você está sumindo... – a velha estava ficando invisível e desaparecia –
- Meu tempo está acabando, eu preciso ir. Que as Deusas lhe protejam Link, salve Thielzer desse grande mal, para que nosso Reino volte a ser próspero e feliz e que a sombra da Máscara Negra vá embora para sempre de Thielzer...
- Adeus Mirha e muito obrigado.
A velha contadora de histórias desapareceu para sempre. Link continuou andando até o Lago da Água Sagrada e quando chegou encheu um pote que ele encontrou na margem do mesmo.
Link voltou a estrada, mas não conseguia achar seu caminho, foi quando Smaugy apareceu do nada:
- Pelas Deusas, eu achava que você estive-se morto, você sumiu por horas!
Link caminhou com Smaugy de volta para a vila e no caminho contou tudo ao velho, que incrédulo ficou examinando o pote com a água que não parava de brilhar.
Eles decidiram que no dia seguinte traçariam destino para Elfheim e iriam livrar o reino dos elfos da floresta da maldição de Tuminus e do feitiço do sono, para poderem traduzir o livro e decifrar os segredos da entrada do castelo de Thielzer.
Link foi dormir cedo e ficou imaginando como seria os desafios que lhe aguardavam, e o que ele faria para derrotar a máscara, mas nada lhe ocorria. Foi assim que caiu no sono. Mal sabia que o mal que enfrentaria seriam muito pior que a morte.
Editado pela última vez por Master Link (RAMJ) em 03/06/2014 (Terça-feira), às 09h06min, em um total de 1 vez.
Imagem
Master Link (RAMJ)
Controlador das Estações
Controlador das Estações

Avatar do usuário

Offline
 
Mensagens: 951
Registrado em: 29/12/2011 (Quinta-feira), às 22h11min
Localização: Em Mirkwood Forest...
Cash on hand: 5,756.60 Rupees

Algumas idéias aqui e pá.

Mensagempor Lord Pikachu » 09/05/2014 (Sexta-feira), às 14h18min

Primeiramente, sinto muito por não ter comentado nada anteriormente, sempre me esqueço...

Ok, o enredo está bom, ao ler o nome das cidades sinto que estou vendo Link se aventurar pelo país de Fairy Tail, Fiore, e imagino que ele pode acabar dando de cara com o próprio Natsu, ou então com Gandalf de O senhor dos Anéis, ou então qualquer Paladino lvl 88 de World of Warcraft, Os montros tem nomes bem interessantes, mas esperaria mais dessa fic, tipo o Hookshot ou um Mirror Shield junto com a Master Sword, ou um pergaminho secreto que ensian técnicas super secretas da Master Sword, sei lá...

Bem, além disso, só posso falar "ta legal mano, continua escrevendo" e pá, fora isso, só os erros de português, que você fez questão que fossem inbox no FB :V
Imagem

Imagem

Carrego silenciosamente o mérito de ser o último postador no Dúvidas/Críticas/Sugestões.
Lord Pikachu
Guarda Real
Guarda Real

Avatar do usuário

Offline
 
Mensagens: 582
Registrado em: 24/08/2013 (Sábado), às 22h35min
Localização: Belém do Pará, Brasil, Via láctea, Sétimo Universo.
Cash on hand: 569.20 Rupees

Re: A Lenda de Zelda Livro II - O Retorno de Link (Master Li

Mensagempor Skull Kid MM » 10/05/2014 (Sábado), às 21h46min

Tá foda Zé, não esquece de botar as criaturinhas adoraveis nos próximos livros :D
"You are the one who will open the locked door"
Voz no sonho de Sora
"Don't think, feeeel!!!"
Bruce Lee
Skull Kid MM
Colecionador de Máscaras
Colecionador de Máscaras

Avatar do usuário

Offline
 
Mensagens: 212
Registrado em: 27/02/2014 (Quinta-feira), às 20h27min
Localização: Bosque minish-HY
Cash on hand: 609.70 Rupees

Re: A Lenda de Zelda Livro II - O Retorno de Link (Master Li

Mensagempor Master Link (RAMJ) » 08/06/2014 (Domingo), às 09h44min

Bom, estou com pouquíssimo tempo livre por causa do cursinho pré-vestibular e por causa do serviço, venho pedir desculpas aos que acompanham a fic, pois já faz algum tempinho que não posto nenhum chapter novo, e trago o cap. II que escreví hoje pra vocês. Espero que gostem e vão deixando a opinião e espectativas de vocês a cada capítulo para que eu possa continuar postando. Ah, caso encontrem algum erro de ortografia, coesão, coerência etc. me enviem MP ou mensagem no facebook à aqueles que tenho adicionado lá para que eu venha corrigir OK? Tenho pouco tempo pra revisão total, então se captarem erros e quiserem ajudar, me contatem para eu corrigir beleza? Prometo que vou tentar postar mais capítulos em menos tempo e principalmente muitos em Julho, que terei alguns dias de recesso da escola. Obrigado a todos que acompanham e aguardem os próximos:

Texto escondido (pode conter spoilers): 
Cap. II – Elfheim


Link se levantou e não viu Smaugy em parte nenhuma da casinha. Ele se arrumou e estando preparado, ouviu os passos apressados do mago ao lado de fora. Ele entrou muito apressado na casinha e com uma feição pálida e assustada:
- Link, precisamos ir, agora!
- O que aconteceu Smaugy?
- Vamos, no caminho explicarei. Consegui dois cavalos para que possamos chegar em Elfheim antes do anoitecer.
- Vamos então.
Link subiu em um dos cavalos brancos que Smaugy havia trazido. Guardou seu arco e a aljava com algumas flechas na bolsa que pendia na cela junto com a bainha contendo a Senhora dos Ventos. Smaugy saiu na frente e quando passou pela porteira do Sul da Vila Mohr, Link começou a cavalgar, e rapidamente alcançou Smaugy.
Os dois estavam muito rápidos e depois de galoparem por uns três quilômetros, Smaugy começou a parar o cavalo e diminuir, seguido por Link que também o fez:
- Link, Garandorf chegou em Thielzer com aproximadamente cento e quarenta e dois homens dispostos a matar em nome do Rei Gerudo, não teríamos chance contra ele e nem contra seu pequeno exército por hora.
- Pois bem, não seria muito agradável ficarmos lá, mas e todas aquelas pessoas da vila Mohr...?
- Não se preocupe, eu avisei as autoridades e eles vão levar a população para uma grande caverna subterrânea que existe lá em tempo e que Garandorf desconhece.
- Certo, vamos a Elfheim.
Já passava de uma hora da tarde, e os viajantes pararam para comer. Após a pausa de uma hora eles continuaram. Foi então que chegaram ao abismo, que era muitíssimo profundo:
- Nesse abismo há um feitiço de proteção que prende Elliond dentro de Elfheim, impossibilitando-o de sair desse reino. Posso ver que isso foi magia de nosso amigo de Devias...
Chegando perto dos grandes portões de entrada do reino, de Madeira Branca dos elfos, que eram cheios de desenhos talhados que contavam histórias aqui não mencionadas, Link pôde avistar uma criatura sobrevoando os céus e que não percebeu a presença dele e de Smaugy:
- Será Elliond, a grande Besta de Elfheim? –questionou Smaugy.
Eles continuaram até que chegaram ao portão. Quando iam cruzar o monstro pousou em cima de um dos portões e deu um ensurdecedor rugido que estremeceu até o chão:
- Acerte uma flecha nele Link, banhe-as com um pouco da Água Sagrada!
Link rapidamente pegou seu arco na bolsa da cela de seu cavalo e vestiu a aljava, onde despejou um pouco de Água Sagrada nas flechas. Foi então que se deu conta de que havia deixado seu escudo em Mohr...
Depois disso Smaugy foi atingido muito rapidamente antes de conseguir fazer qualquer movimento com sua varinha ou espada. Uma enorme espada feita com uma espinha dorsal de Oliphanty acertou em cheio a cabeça de Smaugy que desmaiou:
- Não, Smaugy! – gritou Link –.
A terrível Besta de Elfheim, Elliond era um enorme esqueleto sem nenhuma carne e com chifres dourados. Ele vestia uma enorme veste roxa e tinha olhos vermelhos cor de sangue. Suas asas eram asas de Dragão Verde e eram muito grandes. Ele tinha corpo de touro e inclusive cabeça do mesmo animal. Seus braços eram gigantescos e com enormes seis garras no lugar das mãos, e pernas em forma de bode. Foi quando a criatura tentou levantar voo para acertar um golpe aéreo mortal em Link que ele armou uma flecha banhada com a Água Sagrada e atirou contra o peito de Elliond. O Monstro desviou e teve sua asa direita atingida que logo virou cinzas e derrubou-o em cima do portão de Madeira Branca, despedaçando-o.
Link armou outro flecha apontada para a enorme cabeça de Elliond, que foi mais ágil e tentou golpear com a Espada Dorsal, foi então que Link desviou com um salto para trás. Ele tentou mirar a flecha mais uma vez, mas falhou, pois o monstro desferiu um golpe com as garras que derrubou Link. Quando Elliond foi cravar sua espada na barriga do garoto, Smaugy gritou:
- Drihek Infernyuns!!!
A Besta levou em cheio uma enorme rajada de fogo vermelho-alaranjado em suas costas que veio da varinha de Smaugy. Ele soltou outro rugido e começou a correr na estrada depois do portão que ia direto ao Castelo de Elfheim:
- Smaugy, obrigado! Você está bem?
- Sim, só desmaiei...
- Seu crânio era para estar rachado. Como se salvou?
O velho mostrou um brinco que ele usava na orelha esquerda:
- Isso se chama Healm Grind, isso lhe dá total proteção na cabeça e impede que seu crânio quebre com golpes na cabeça. Mas esse foi tão forte que eu desmaiei.
- Ótimo, mas temos que derrota-lo e ele fugiu, devemos aproveitar que Elliond está machucado...
- Sim, continuemos.
Eles montaram, mas Link não guardou seu arco na bolsa, e continuou com ele caso Elliond volta-se.
A Noite chegou e eles puderam avistar o enorme castelo de Elfheim depois de muito cavalgar. Ele era feito todo de madeira branca, mas estava totalmente abandonado, cheio de ervas daninhas crescendo em suas paredes que pareciam uma enorme árvore mas sem copa. No lugar da copa da então “Árvore Branca”, havia uma enorme torre inteirinha preta e com uma única e grande janela sem vidros e com uma cortina roxa que era balançada pelo vento. As outras torres estavam em ruínas, bem como todo o vilarejo que rodeava o castelo. A ponte principal era também feita de madeira branca, mas estava partida em vários escombros, assim como o enorme portal que dava entrada ao castelo.
Os dois guerreiros entraram no castelo escalando os obstáculos e Smaugy ascendeu sua varinha com um feitiço de iluminação que iluminou todo o salão principal.
O chão estava todo cheio de raízes e as paredes estavam manchadas de sangue e fediam muito. Cadáveres podiam ser encontrados por toda a parte, mas Link e Smaugy não se demoraram e começaram a subir as escadas de uma enorme escadaria circular central que levava até a torre negra. Quanto mais alto chegavam mais o fedor aumentava. Eles escutavam grunhidos e gritos de Elliond lá em cima.
Um frio começou a envolver Link e ele se sentiu como se fosse morrer a qualquer momento, sua cabeça começou a girar e ele não podia mais ver Smaugy. As escadas todas começaram a desmoronar e ele caiu no vazio e se viu frente a frente com uma criatura envolta em um pano vermelho que não mostrava a face e detinha um enorme machado de ouro em um cabo de mesmo material em suas mãos:
- Você acha que pode quebrar uma maldição tão facilmente assim humano? – disse a criatura com uma voz rouca e amedrontadora –.
- Quem é você? – questionou Link com um medo que ele jamais havia sentido e que o paralisava completamente –
- Eu sou aquele que chega sem avisar, e sou rápido como a luz, posso enganar a morte e posso vagar por onde quiser. Sou o Arauto Cursear, responsável por todas as maldições dessa dimensão, mas você não pode me derrotar...
Dizendo isso o Arauto desapareceu. Link percebeu que havia muitos ossos no chão, gritos de dor e sofrimento pairavam no ar, um cheiro horrível entrava em suas narinas, e ele começou a entrar em pânico.
- Hehehehehahahahahahaaaaaaaa! Começou a sentir um pouco do que Elliond sentiu quando Tuminus lançou sua maldição. Na verdade, fui eu quem o fez, hahahahaha! Tuminus foi um recipiente apenas para eu chegar até Elliond. A muito ele me afrontava, então resolví criar uma intriga entre eles, os Elfos, e os Anões, que durou anos até que eu agi e dei meu golpe final em Elfheim huahahahahaha! Antes de mata-lo jovem, resolví mostrar a você o que é o sofrimento amaldiçoador, pior do que a morte. Depois acabarei com o velho...
- Você não irá... argh!
Link foi arremessado várias vezes sem conseguir reagir, e depois de erguido no ar, começou a ser estrangulado por Cursear que apareceu finalmente. Ele tinha muita força e emanava uma aura negra que fazia Link perder toda esperança e que sumia com o calor de seu sangue.
Quando Link estava desfalecendo, uma Luz irrompeu do nada começou a ganhar dimensões gigantescas. Um som de melodia em uma voz feminina interrompeu os gritos de agonia e começou a queimar o Arauto que largou Link e colocou as mãos na cabeça, sentindo queimar seu crânio. Os trapos e vestes vermelhos se queimaram e à medida que a melodia calma e suave aumentava, mais Cursear berrava. Por baixo ele era uma criatura parecida com um humano, mas tinha a cor cinza, e tinha olhos grandes, sem íris, pois eram negros, e era muito magro:
- Maldita seja essa voz... eu não posso suportar... Você escapou dessa vez garoto Hylian, iremos nos encontrar novamente... argh, aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah!
Dizendo isso, o Arauto Cursear desapareceu e a Luz se mostrou ser a Princesa Zelda:
- Princesa, o que faz aqui? Como...?
- Não temas mal algum, meu jovem guerreiro, eu sempre irei orar por você, que as Deusas lhe protejam e que minhas preces venham encontra-lo sempre que estiveres na imensa escuridão e venham trazer-lhe luz!
- Obrigado minha Princesa.
Dito isso, a luz em forma de Zelda desapareceu e Link se viu no topo da escadaria nos braços de Smaugy que quando viu Link acordado se assustou:
- Que bom que você voltou, eu tentei de tudo, mas não consegui acordá-lo... Como escapou Link?
- As preces de Zelda às Deusas me alcançaram a tempo e o Arauto Cursear das maldições não resistiu a luz das orações e desapareceu.
- Pelas minhas barbas! Você sobreviveu ao Arauto das Maldições? Você realmente é abençoado meu jovem. Agora sigamos até aquela porta. Lá se encontra Elliond.
Link se levantou, e se sentiu revigorado, após tudo aquilo. As orações de Zelda e a benção das Deusas pairavam sobre seu espírito e isso o deixou radiante e confiante de que conseguiria derrotar a Besta de Elfheim e salvar o reino dos elfos.
Eles se dirigiram até a porta da torre e quando abriram, viram a besta se alimentando de corpos mortos de mulheres elfas, que estavam nuas e suas lindas peles brancas pintadas do vermelho de seus próprios sangues. O monstro se levantou e encarou Link com uma feição de ódio, se ergueu e brandiu sua Espada Dorsal, e em posição de combate disse:
- Darhestur kimbasteriûm – que do dialeto negro quer dizer “Enfrente-me verme” –.

Obrigado por lerem, acompanhem!
Imagem
Master Link (RAMJ)
Controlador das Estações
Controlador das Estações

Avatar do usuário

Offline
 
Mensagens: 951
Registrado em: 29/12/2011 (Quinta-feira), às 22h11min
Localização: Em Mirkwood Forest...
Cash on hand: 5,756.60 Rupees

Re: A Lenda de Zelda Livro II - O Retorno de Link (FanFic RA

Mensagempor Lord Pikachu » 22/08/2014 (Sexta-feira), às 20h10min

Desculpe lhe fazer esperar 2 meses por isso XD

Bem, vejamos, a história está interessante, até mesmo um dialeto que não parece que você só deu uma testada no teclado e inventou algum significado, quanto aos monstros existentes, pensou em alguma batalha com dois inimigos que se complementam como Twinrova ou até mesmo dois separados que são um desde o começo da batalha como Fraaz?

Quanto á espada na cabeça de Smaugy, ela acertou a cabeça dele com a parte do meio, que divide a lâmina, ou ela entrou de frente na testa dele?
Imagem

Imagem

Carrego silenciosamente o mérito de ser o último postador no Dúvidas/Críticas/Sugestões.
Lord Pikachu
Guarda Real
Guarda Real

Avatar do usuário

Offline
 
Mensagens: 582
Registrado em: 24/08/2013 (Sábado), às 22h35min
Localização: Belém do Pará, Brasil, Via láctea, Sétimo Universo.
Cash on hand: 569.20 Rupees

Re: A Lenda de Zelda Livro II - O Retorno de Link (FanFic RA

Mensagempor Master Link (RAMJ) » 24/08/2014 (Domingo), às 18h45min

Muito obrigado Lord Pikachu pelo feedback, eu não vou deixar minha fan fic morrer na praia, pretendo continuar, só estava esperando o post de alguém. Enfim, respondendo suas perguntas:
1 - Talvez eu absorva a ideia de dois inimigos formando um ou um se desintegrando em vários para os proximos livros que ainda não estão prontos, obrigado pela dica.
2 - A espada que acertou o Smaugy foi mais como uma pancada forte na cabeça, a mesma não é afiada nos lados, ela só é pontuda (muito por sinal) e pesada. E aliás é feita de ossos.
Pretendo postar alguns capítulos essa semana se tudo der certo. Fiquem de olho.

-- 24 Ago 2014 18:45 --

Mais um curto capítulo, postarei pelo menos mais dois essa semana:

Texto escondido (pode conter spoilers): 
Cap. III – Dusphenhydrum

Link queria muito estar com o escudo em mãos, pois os ataques de Elliond com sua Espada Dorsal eram muito difíceis de desviar. O demônio desferia um golpe atrás do outro, mas Link conseguiu desviar. Smaugy lançava várias magias de raios e bolas de fogo conjuradas com palavras desconhecidas, mas Elliond mesmo sendo grande tinha uma velocidade incrível e conseguia se esquivar com facilidade.
Link e o velho estavam ficando cansados, foi então que Smaugy teve a ideia de conjurar a Dusphenhydrum, mas isso demandaria muito tempo. Era a única escapatória ou eles morreriam alí:
- Link, dê-me o recipiente com a Água Sagrada...
- Tome. – disse Link sem questionar –
O recipiente foi lançado e ao pegá-lo Smaugy desapareceu:
- Smaugy, não me deixe... preciso de sua ajuda.
Depois de dizer isso o escudo de Link apareceu aos seus pés. Link incrédulo rapidamente rolou para desviar de mais um ataque de Elliond e pegou o escudo, vestindo-o rapidamente:
- Link, fui eu quem materializou seu escudo aí, conseguí trazê-lo pela minha magia. Estou invisível para poder atacar sem Elliond me ver. Eu irei conjurar uma magia que derramará em todo o reino a Água Sagrada, vou aumentar sua quantidade, mas preciso do máximo de tempo que você puder aguentar...
- Certo, agora com o escudo vou ver o que consigo...
Mal terminou de dizer isso Link quase levou um golpe mortal, mas seu reflexo foi mais rápido e ele posicionou o escudo contra a espada de Elliond. Link deu um salto e golpeou a espada certeiramente no cabo e quebrou-a.
Elliond ficou furioso, e tentou acertar Link com as garras, que desviou com saltos laterais. O demônio conseguiu segurar o escudo de Link com as garras e amassa-lo com facilidade, e ao puxa-lo, Elliond deslocou o braço de Link. O escudo saiu e quase o braço também, mas foi por muito pouco. Link desesperado e aos berros de dor largou a espada e de caiu de joelhos. Ele começou a orar às Deusas e chamou por Zelda, mas nada aconteceu:
- Milagres não acontecem duas vezes seu verme...
Elliond arrancou uma costela de seu corpo e arremessou no peito de Link que já estava paralisado e muito cansado para tentar se defender. A costela foi destruída por uma bola de fogo que Smaugy lançou:
- Já basta demônio, agora você será exorcizado, desgraçado: Dusphenhydrum!!!
Smaugy finalmente apareceu e portava na ponta de sua varinha uma enorme esfera azul com um brilho que encheu todo o castelo de Elfheim, a mesma que rapidamente foi lançada contra Elliond.
Ao ser atingido a esfera explodiu e sua explosão se estendeu por toda Elfheim. Elliond começou a rugir de dor, seu corpo começou a derreter, e começou a surgir diante de Smaugy um homem alto de orelhas pontudas e cabelos brancos e lisos. Toda a esfera estava impregnada de Água Sagrada que foi derramada por todo o reino. Os corpos mortos sumiram, inclusive das elfas que estavam naquele quarto. Um enorme estrondo ocorreu do lado de fora. Smaugy foi até a janela da torre e viu uma enorme escadaria que se abriu do subterrâneo e dela começaram a sair milhares de elfos meio tontos e todos com vida:
- Conseguimos Link...
Smaugy não percebeu mas Link estava no chão desacordado.
O mago ergueu o menino que estava ainda com os sentidos:
- Link, seu braço...
- Deixe-me cuidar disso. – disse o Rei do Elfos –
Elliond estava alí, curado de sua maldição, vestindo uma longa veste azul. Tinha feições gentis e emanava um brilho por todo o corpo. Os olhos de Link se abriram e ele viu o rei fazendo alguns gestos no ar. Rapidamente Link se ergueu e se sentiu curado. Aquela luz o tocou e seu braço já estava no lugar e não doía mais:
- Peço minhas sinceras desculpas por tudo que fiz, eu quase os matei e desgracei muito do meu reino, mas há muito o que fazer. Reconstruirei Elfheim e trarei o antigo brilho de nossa reino de volta.
- Você não tem do que se desculpar, não era você que nos atacava, a maldição o forçou... E parece-me que sua magia de cura não caducou meu rei. – disse Smaugy –
- Meu senhor, sei que agora não é o momento mais oportuno, mas precisamos de sua ajuda.
- Peça o que precisar meu jovem Hylian, devo muito a você e ao mago.
- Nós temos um livro escrito na língua de Elfheim que não conseguimos traduzir, e é de suma importância que saibamos o que está escrito.
- Deixe-me ver.
Smaugy levou o Rei até os cavalos que não se encontravam muito longe dali e Link foi mais devagar logo atrás deles. Ele pode observar que o dia já amanhecia e os raios do Sol cobriam agora grandes porções de terras, todas verdes e vivas. A Água Sagrada curou Elfheim.
Link pode ver os elfos, todos com vestes e panos finos, inclusive várias elfas tinham as roupas tão finas que era possível ver suas partes íntimas. Link corou ao ver uma bela elfa com as vestimentas mas finas que ele já havia visto, correndo em direção aos seus familiares e comemorando o reencontro e a cura de seu reino. Alí perto também havia algumas elfas que entraram em um lago, ainda não visto por Link. Elas se banhavam e alegres brincavam na água por estarem livres da maldição. Foi a primeira vez que Link viu tantas moças nuas, e ainda mais envergonhado, percebeu que mesmo elas o vendo alí parado olhando, não se incomodavam. Os elfos eram um povo puro e inocente.
Depois Link se dirigiu onde estava Smaugy e Elliond, que estava chorando ao receber a notícia de que matara seu próprio filho. Outros elfos estavam juntos do rei, provavelmente servos mais próximos:
- A sua perda é grande, sentimos muito rei Elliond. – lamentou Smaugy –
- Haverá tempo para honrar a memória de meu filho, agora dê-me o livro que precisa de tradução meu bom mago. – disse Elliond, enxugando as lágrimas –
Link se aproximou, e viu Smaugy tirando o livro da bolsa que estava amarrada na cela do cavalo, e então Elliond disse:
- Você planejam enfrentar a Máscara de Majorras? Você são malucos? – enquanto folheava o livro –
- Então esse é o verdadeiro nome da máscara negra? –questionou Link-
- Sim.
- Pois precisamos de algo que ela detêm, um objeto que será usado como arma contra a Sombra do Lobo, que atingirá Hyrule em breve...
- Então vocês devem ser rápidos. Entregarei um livro idêntico a esse no dialeto comum a vocês, mas preciso de dois dia. Posso adiantar que precisarão dos Quatro Olhos de Ruby para entrar no castelo do rei Astohz. O único lugar que encontrarão essas pedras é no reino de Maelzer dos anões.
- Devemos ir até Maelzer então Smaugy.
- Sim, tomaremos estrada em algumas horas, pois trate de descansar.
Link foi até o lago novamente e deitou embaixo de uma macieira que lá havia, apanhou algumas e ficou observando as elfas, a beleza e brilho que elas emanavam, era lindo. Agora Link já não sentia mais vergonha... assim adormeceu.

Comentem, questionem, opinem...
Imagem
Master Link (RAMJ)
Controlador das Estações
Controlador das Estações

Avatar do usuário

Offline
 
Mensagens: 951
Registrado em: 29/12/2011 (Quinta-feira), às 22h11min
Localização: Em Mirkwood Forest...
Cash on hand: 5,756.60 Rupees

Re: A Lenda de Zelda Livro II - O Retorno de Link (FanFic RA

Mensagempor Alons-y Zelda » 26/08/2014 (Terça-feira), às 11h00min

Achei a fic muito boa, Master Link. Espero que a continues. :) Estou a escrever uma fanfic agora também, talvez a poste por aqui se houver interessados em lê-la.
Alons-y Zelda
Recruta
Recruta

Avatar do usuário

Offline
 
Mensagens: 2
Registrado em: 25/08/2014 (Segunda-feira), às 11h39min
Localização: Celéstia
Cash on hand: 4.75 Rupees

Re: A Lenda de Zelda Livro II - O Retorno de Link (FanFic RA

Mensagempor Master Link (RAMJ) » 28/08/2014 (Quinta-feira), às 13h07min

Obrigado @Alons-y Zelda! Leia o livro I nessa mesma seção pra você entender a história, ou clique nesse link aqui: viewtopic.php?f=9&t=31432
Se postares a fic prometo que leio a sua também e vou comentar viu? Fiquem ligados, mais capitulos chegando no sabado.
Imagem
Master Link (RAMJ)
Controlador das Estações
Controlador das Estações

Avatar do usuário

Offline
 
Mensagens: 951
Registrado em: 29/12/2011 (Quinta-feira), às 22h11min
Localização: Em Mirkwood Forest...
Cash on hand: 5,756.60 Rupees

Re: A Lenda de Zelda Livro II - O Retorno de Link (FanFic RA

Mensagempor Lord Pikachu » 14/10/2014 (Terça-feira), às 23h00min

E esse sábado nunca chegou....
Vou comentar aqui só pra poder continuar lendo a fic porque ta muito boa cara.
Imagem

Imagem

Carrego silenciosamente o mérito de ser o último postador no Dúvidas/Críticas/Sugestões.
Lord Pikachu
Guarda Real
Guarda Real

Avatar do usuário

Offline
 
Mensagens: 582
Registrado em: 24/08/2013 (Sábado), às 22h35min
Localização: Belém do Pará, Brasil, Via láctea, Sétimo Universo.
Cash on hand: 569.20 Rupees

Re: A Lenda de Zelda Livro II - O Retorno de Link (FanFic RA

Mensagempor Master Link (RAMJ) » 31/01/2015 (Sábado), às 20h50min

Lord Pikachu escreveu:E esse sábado nunca chegou....
Vou comentar aqui só pra poder continuar lendo a fic porque ta muito boa cara.


Hahahahahaha, vida de vestibulando é um inferno... mas vou tentar escrever alguns chapters esse fim de semana, valeu pelo apoio @Lord, isso significa muito e me ajuda a não desanimar. Obrigado mesmo :D .

-- 31 Jan 2015 20:50 --

E finalmente @Lord Pikachu, e agora voltei com tudo, pega mais um chapter aí. Fiquem de olho, mais capítulos chegando:

Texto escondido (pode conter spoilers): 
Cap. IV – A batalha de Maelzer Part. 1

Ainda era madrugada quando Smaugy acordou Link. Rapidamente eles se aprontaram para a viagem até Maelzer, o reino dos anões.
Antes de partirem Link lembrou Smaugy do que Tom, o estaleiro do Ônix Saltitante havia dito a ele a vários meses atrás, que Maelzer estava em guerra contra um pequeno número de soldados de Garandorf e que seria possível que ninguém houvesse sobrevivido:
- Posso lhe garantir que apenas um pequeno número de anões fora corrompido pelos poderes de Garandorf. Os anões são fortes e não se deixariam derrotar – disse Elliond, que os acompanhava antes de partirem –
- Posso ficar mais tranquilo então. Smaugy disse que o exército de Garandorf havia crescido no mínimo em cento e doze guerreiros, a julgar pelo número que me foi informado posteriormente pelo tal estaleiro e pelo número de combatentes que invadiram Mohr.
- Temos de nos apressar, Link. Não sabemos em que situação se encontra Maelzer.
Eles partiram pelo portão principal, aquele mesmo que Elliond destruiu quando ainda estava amaldiçoado. Já haviam alguns elfos trabalhando na reconstrução do mesmo.
Elliond desejou a eles boa sorte:
- Que as Deusas os protejam, voltem assim que conseguirem os Quatro Olhos de Ruby, e eu já terei traduzido o livro.
- Adeus Elliond, até breve – disse Smaugy –
Em seguida os dois montaram em seus cavalos e saíram em disparada. Smaugy agora estava sem sua espada e Link sem seu escudo, na esperança de que os anões tivessem algum que eles pudessem negociar, pois os anões eram ótimos artesãos de armas de defesa e de escudos bem vastos.
O dia amanheceu. Depois, passou do meio dia. Eles ainda não pararam. Chegando perto do reino de Maelzer pode-se avistar vários pontos de fumaça branca:
- Olhe Link, parece que Maelzer já sofreu o ataque de Garandorf.
- Vamos depressa.
Mais algumas horas e eles finalmente chegaram nos portões de Maelzer. Eram enormes portões de ferro com gravuras anãs e runas escritas. O mesmo estava destruído no meio e aberto.
Eles passaram pelo portão e logo em seguida ouviram uma comitiva marchando em direção a eles. Quando estavam a cinco metros de distância os guerreiros anões que somavam vinte e dois armaram-se com seus enormes machados de ferro, banhados por cobre e prata. Depois disso um deles gritou:
- O que querem nas minhas terras viajantes? Vocês estão me cheirando a espiões.
O anão que falavam saiu do meio dos seus companheiros. Ele era um pouco mais alto que os outros. Tinha uma armadura mais brilhante e um elmo de ouro. Seu machado era feito de ouro branco e o sol poente da tarde reluzia em sua enorme lâmina:
- Salve Thror, senhor dos anões – disse Smaugy descendo de seu cavalo e fazendo uma reverência – Não somos espiões, viemos em busca de ajuda com alguns artefatos de suma importância em nossa jornada. Viemos a negócios.
- Não estamos aceitando nenhum estrangeiro em nossas terras, nem para negócios. Estamos nos recuperando de um ataque recente. Tivemos várias perdas... e traições.
- Sabemos que você foi atacado por Garandorf senhor. Me chamo Link senhor, sou um Hylian. Vim para a grande ilha Portals pois preciso reclamar a herança de meu avô. Meu país está para ser fortemente atacado e somente eu posso ajudá-lo com a arma que meu avô deixou em Portals.
- Sim, e precisamos recuperar o cristal dessa arma para que ela possa despertar seus verdadeiros poderes. Mas esse cristal está em Thielzer, no antigo castelo do Rei Astohz – disse Smaugy –.
- Vocês são malucos, ninguém nunca saiu vivo daquele castelo – indagou Thror –.
- Precisamos dos Quatro Olhos de Ruby para podermos entrar no castelo...
- Eu não posso ajuda-los – disse o Rei interrompendo Link – Garandorf retornará a qualquer momento e precisamos nos preparar para o ataque dele que vai ser ainda mais forte.
Thror se virou e fez menção para que os anões guardassem seus machados e começaram a retornar.
- Espere meu senhor, e se nós o ajudarmos a derrotar Garandorf, o senhor nos ajuda com o que precisamos? – disse Link –.
- Se sairmos vivos desse ataque, darei a vocês tudo que precisarem. Mas acho difícil vermos o amanhecer novamente depois da batalha. – disse Thror ao se voltar para trás –.
- Pois ficaremos e ajudaremos seus homens a derrotar Garandorf! – exclamou Link –.
Thror deu um sorriso no canto da boca:
- Pois então me sigam, vamos até meu castelo.
Os dois montaram novamente e seguiram a comitiva.
Ao chegar perto do enorme castelo que foi construído na encosta de uma grande montanha, Link percebeu que o mesmo não tinha portões de entrada. Havia somente um enorme muro de rocha maciça que aparentava ser muito grosso e forte. Mas nela haviam vários pontos pretos e buracos, que estavam sendo tampados por alguns anões utilizando pedras e martelos para tal.
Além da muralha haviam grandes torres de vigia e no meio um grande palácio com várias vigas banhadas a ouro branco e chão feitos de mármore. Mas isso Link ainda não havia visto, pois ainda estava do lado de fora e cada vez mais perto da muralha junto com a comitiva. Ele não tinha ideia de como entrariam sem um portão.
Foi então que chegaram bem na frente da muralha que todos os anões ficaram em formação de círculo e chamaram Link e Smaugy, que ainda estavam montados, para ficar no meio. Eles fizeram o que foi dito, e no meio da formação viram Thror que tirou seu machado das costas, pisou bem forte no chão, onde ele pisou apareceu um pequeno buraco. Ele enfiou a ponta do cabo de seu machado no buraco, que olhando melhor, Link percebeu que tinha forma de fechadura. A ponta do cabo de seu machado era uma espécie de chave. O machado depois de bem encaixado brilhou, reluzindo todo seu ouro. Chegava a ofuscar os olhos. Então o machado parou de brilhar, girou sete vezes para a esquerda e parou. Thror olhou para Smaugy e disse para desmontarem dos cavalos e ficarem firmes. Depois que o fizeram, o Rei tirou seu machado do chão e Link pode escutar um barulho em baixo dos seus pés. E bem no formato exato da formação dos anões apareceu um círculo, que como uma plataforma desceu com tudo para baixo.
O trajeto demorou apenas dez segundos, mas ao julgar pela velocidade, eles desceram muito. Segundo um anão ao lado de Link, dois mil metros.
Ao parar de descer a plataforma se encaixou no solo e toda a formação se desfez. Link se viu em um enorme túnel com chão de pedra plana e paredes de pedra rústica. Haviam várias portas nos dois lados do túnel, cada uma com runas diferentes inscritas nelas. Eram largas e bem altas, com quase dez metros de altura.
Alguns anões os aguardavam:
- Meu senhor Thror, quem são esses? – perguntou um anão, vestido de preto e cinto branco, ao Rei –
- São viajantes que vieram a negócios e decidiram ajudar em nossa batalha. Em troca, darei a eles o que precisam, se sobrevivermos é claro – disse Thror com desdém –
- Pois não, meus senhores, deixem-me levar suas montarias? – perguntou o anão de preto a Link e Smaugy –.
Eles cederam as rédeas ao anão que os levou pelo túnel e entrou na segunda porta a esquerda com duas batidas.
Thror fez menção para que seguissem ele. Ao continuar pelo túnel, Link viu pela porta aberta, que o anão de preto entrou, os cavalos sendo amarrados. Retiravam as celas e os pertences que estavam nelas. Eles logo trouxeram comida e água para os animais:
- Podem confiar em Gillyy, ele é um dos meus homens mais próximos. Fiquem tranquilos quanto aos seus pertences – disse o Rei –.
- Obrigado senhor. Gostaríamos também, se não for pedir muito, sua ajuda com os armamentos para a batalha – disse Smaugy –.
- Providenciaremos o que precisarem para nos ajudar. Mas vamos comer primeiro, já passa das dezessete horas e estou faminto.
Eles andaram por mais trinta minutos naquele túnel com milhares e milhares de portas, que parecia não acabar. Os anões da comitiva entraram em portas diferentes e agora somente dois grandalhões, quase mais altos que Thror, os acompanhavam.
Finalmente chegaram no fim do túnel. Havia uma enorme porta feita de prata e bem grossa também. Mas era maior que todas as outras do túnel, devia ter no mínimo quatorze metros de altura.
Os anões grandalhões bateram cinco vezes na porta e ela se abriu. Ao passar pela porta Link se viu em um enorme salão, que parecia não ter fim, bem como não se via o teto. Já como descrito anteriormente, era o salão por trás da enorme muralha, mas por fora não se via nada além do telhado e das torres. As vigas eram muito espessas com diâmetros de trintas metros:
- Bem vindos ao salão baixo do castelo de Maelzer, vamos até a ala de refeições, lá estão servindo o jantar.
Após dizer isso, o Rei seguiu para a direita e passou por um portal, seguido de perto por Link e Smaugy. No caminho passaram pelo banheiro e depois foram comer.
A ala das refeições era muito grande e uma mesa de forma retangular com pelo menos cinco mil lugares ficava no centro. Ao sentarem logo no início, com o Rei na cabeceira, o banquete começou a ser servido. Link nunca viu tanta comida em uma única refeição e havia dias que ele não comia decentemente. Comeu o máximo que pode, chegando até a passar mal. Mas ficou bem para trás perto do que Thror e seus anões guarda-costas comeram. Smaugy comeu pouco, mas se satisfez.
Depois de terminarem e depois da comida se assentar no estômago o Rei se levantou e convidou os dois para o arsenal. Ora chegaram lá, com menos de vinte minutos andando pelo enorme salão:
- Meus batedores disseram que Garandorf se aproxima, temos que nos armar e ficar em alerta. Do que vocês precisam?
- Meu senhor, eu preciso de uma espada. Não sou bom com machados, e se ela possuir propriedades mágicas seria de grande ajuda, pois sou versado em magia. Meu companheiro precisa apenas de um escudo – Disse Smaugy –.
Link, concordando com o que ouviu, lembrou que deixou a bainha com a Espada Mestra na cela do seu cavalo, junto com o arco e a aljava de flechas, mas ainda estava com a Espada Elementar.
Thror falou com um anão, que vestia uma armadura de ferro bem grande e usava um elmo com brilhantes, do que precisavam. O que foi pedido, Thror os concedeu sem cobrar nada. Disse que a ajuda deles já valia como pagamento. Smaugy recebeu uma espada de duas mãos, feita de ouro branco e cabo de ouro comum. Link recebeu um escudo retangular de tamanho médio. Era feito de um aço muito resistente e leve:
- Esse escudo é feito de Mythril, o nosso ferro mais valioso – disse o anão do arsenal –.
- Muito obrigado Rei Thror, nos empenharemos na batalha. – exclamou Link –.
Terminando de dizer isso pode-se ouvir um enorme estrondo que ecoou por todo o salão. Parecia que o mundo desabou. Link ficou meio surdo e tonto, e quando voltou a si ouviu Thror dando ordens aos anões em sua língua. Ele berrava, e vários anões começaram a aparecer aos montes e corriam em direção a uma enorme escada feita de mármore branco que ficava bem ao longe do arsenal. Alguns poucos voltavam pelo túnel.
Thror se virou para Smaugy e disse preocupado:
- Começou!


Obrigado por ler. Acompanhe!
Editado pela última vez por Master Link (RAMJ) em 01/02/2015 (Domingo), às 19h08min, em um total de 3 vezes.
Imagem
Master Link (RAMJ)
Controlador das Estações
Controlador das Estações

Avatar do usuário

Offline
 
Mensagens: 951
Registrado em: 29/12/2011 (Quinta-feira), às 22h11min
Localização: Em Mirkwood Forest...
Cash on hand: 5,756.60 Rupees

Re: A Lenda de Zelda Livro II - O Retorno de Link (FanFic RA

Mensagempor Lord Pikachu » 01/02/2015 (Domingo), às 18h29min

Olha cara, está realmente ótima, repito meus argumentos, veria isso como um especial de TV do SBT em um sábado, tem bons elementos de um RPG como Final Fantasy e seus reinos, seria interessant Smaugy ensinar link magias de ataque e defesa, como incorporar o fogo, gelo, água, trovão ou ar em sua espada, ou até mesmo sword beams com poderes de destruir fileiras de exércitos em uma espécie de Kamehameha saindo da ponta da espada, de modo único ou em fileira, no mais, a fic está ótima, poderia aproveitar e entrar no Fórum do RPG Maker e tentar criar algo no 2003, ou o VX Ace, o que acha?
Imagem

Imagem

Carrego silenciosamente o mérito de ser o último postador no Dúvidas/Críticas/Sugestões.
Lord Pikachu
Guarda Real
Guarda Real

Avatar do usuário

Offline
 
Mensagens: 582
Registrado em: 24/08/2013 (Sábado), às 22h35min
Localização: Belém do Pará, Brasil, Via láctea, Sétimo Universo.
Cash on hand: 569.20 Rupees

Re: A Lenda de Zelda Livro II - O Retorno de Link (FanFic RA

Mensagempor Master Link (RAMJ) » 01/02/2015 (Domingo), às 18h51min

Obrigado @Lord Pikachu. Não pretendo fazer nenhum jogo da história não, mas valeu a dica. Quanto as magias, para Smaugy ensinar Link demoraria anos e anos a fio. Sem chance, mas continue acompanhando, algumas reviravoltas lá na frente vão resultar numa guerra de proporções épicas que eu estou louco para reescrever. Aguarde e confie. Terá bastante explosão e "Kamehame-has destruindo fileiras de inimigos" :D .
Ah, e o Link controla os elementos na Espada Elementar sim, mas contra Elliond ele não teve tempo de usar. Você vera ele usando mais esses poderes elementares a seguir. Assim que terminar de escrever o próximo capítulo eu posto.
Imagem
Master Link (RAMJ)
Controlador das Estações
Controlador das Estações

Avatar do usuário

Offline
 
Mensagens: 951
Registrado em: 29/12/2011 (Quinta-feira), às 22h11min
Localização: Em Mirkwood Forest...
Cash on hand: 5,756.60 Rupees

Re: A Lenda de Zelda Livro II - O Retorno de Link (FanFic RA

Mensagempor antonioiago » 23/05/2015 (Sábado), às 14h11min

vc pretende colocar a nova parte da historia quando so um pedido continue com uma boa criatividade ela da origem a essas historias
antonio iago p.maques(souwra/link)
antonioiago
Recruta
Recruta

Avatar do usuário

Offline
 
Mensagens: 14
Registrado em: 19/05/2015 (Terça-feira), às 17h51min
Localização: fortaleza/messejana
Cash on hand: 73.45 Rupees

Re: A Lenda de Zelda Livro II - O Retorno de Link (FanFic RA

Mensagempor Master Link (RAMJ) » 26/05/2015 (Terça-feira), às 11h36min

antonioiago escreveu:vc pretende colocar a nova parte da historia quando so um pedido continue com uma boa criatividade ela da origem a essas historias


Muito obrigado @antonioiago, fico feliz que está gostando. Vou continuar sim! Leu o LIVRO I (viewtopic.php?f=9&t=31432) também né? Então, no momento estou muito ocupado com a faculdade, fim de semestre e também trabalho o dia inteiro, então estou sem tempo. Mas fique tranquilo. O recesso está chegando e vou finalizar o LIVRO II até o fim de junho e já começo o LIVRO III. Vou tentar postar pelo menos cinco capítulos por semana, vamos ver. Mas isso em junho, depois do dia 15. Fique atento a partir dessa data. Os livros 2 e 3 estão prontos mas estou reescrevendo eles já digitando porque a primeira versão foi mansucrita :H: ...
Mais uma vez obrigado pelo interesse, só você e o @Lord Pikachu ainda leem minha fic, e fico muito grato por isso. Aguarde por essa batalha dos anões contra Garandorf, será épica!
Imagem
Master Link (RAMJ)
Controlador das Estações
Controlador das Estações

Avatar do usuário

Offline
 
Mensagens: 951
Registrado em: 29/12/2011 (Quinta-feira), às 22h11min
Localização: Em Mirkwood Forest...
Cash on hand: 5,756.60 Rupees

Re: A Lenda de Zelda Livro II - O Retorno de Link (FanFic RA

Mensagempor antonioiago » 26/05/2015 (Terça-feira), às 15h03min

tb tenho esse problema,estou fazendo a historia O HEROI DO TEMPO A HIISTORIA NUNCA CONTADA e ela tera um final epicamente epico voçe se interresar va ler se tiver tempo estou no capitulo 2
antonio iago p.maques(souwra/link)
antonioiago
Recruta
Recruta

Avatar do usuário

Offline
 
Mensagens: 14
Registrado em: 19/05/2015 (Terça-feira), às 17h51min
Localização: fortaleza/messejana
Cash on hand: 73.45 Rupees

Próximo

Voltar para Fics

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante

cron